A religião de Jesus



A arrogância que nos leva a acreditar que somos superior outros tem origem no medo de sermos inferiores. - Mark W. Baker

A Religião de Jesus não tornamvam as pessoas arrogantes, ao contrário, as estimulavam a ser humildes, diferente da religião da cúpula judaica dos supostos "representantes de Deus" na terra. Estes acreditavam ser os mestres da verdade, todavia, Jesus sempre soube que aqueles que afirmam "saber tudo" fazem isso porque estão presos a princípios e têm medo de mostrar qualquer ignorância. Eles odiavam não estarem certos! O ódio aos outros freqüentemente é sintoma de uma ferida interna em nós mesmos. Às vezes, a cura do nosso ódio pelas outras pessoas começa com um exame sincero do que guardamos no inconsciente. Jesus deixou claro que se odiamos alguma coisa nos outros devemos parar e verificar se temos algo parecido em nós.  Condenar os outros por um defeito contra o qual lutamos em nós mesmos é como preocupar-nos com o "cisco" nos olhos de uma pessoa, a respeito do qual nada podemos fazer, enquanto temos uma "trave" no olho que requer uma atenção imediata. 


Jesus nunca colocou o valor intelectual acima da pureza de coração. Ele sabia que as pessoas estabelecem contato através das emoções e que as nossas divergências mais sérias não são a respeito do que pensamos, mas o resultado de como fomos emocionalmente feridos.

Jesus dizia para que as pessoas fossem como as crianças, MAS NÃO SEJAM INFANTIS! (Mt18:3) Existe uma diferença entre ser infantil e ser como as crianças. Ser infantil é ser imaturo e recusar-se a assumir a plena responsabilidade pelas próprias ações. Ser como as crianças é assumir responsabilidade e ao mesmo tempo ser capaz de entregar-se às emoções. Jesus atribuía uma grande importância ao fato de sermos como as crianças. Jesus nunca colocou o valor intelectual acima da pureza de coração. Ele sabia que as pessoas estabelecem contato através das emoções e que as nossas divergências mais sérias não são a respeito do que pensamos, mas o resultado de como fomos emocionalmente feridos. 

Até a psicologia já concluiu que os seres humanos não podem existir sem um relacionamento saudável com outra pessoa. Pessoas que se isolam adoecem! A religião de Jesus era sobre amor e relacionamento, não sobre regras, porque é do amor nos relacionamentos que precisamos para sobreviver. Os relacionamentos que encerram amor são a prova da verdadeira religião de Jesus.  

A religião deveria ter o propósito de trazer reconciliação e vida! Todavia, historicamente as instituições nunca foram assim, sempre foram usadas para alcançar uma posição social, oportunidades de apoio ou poder sobre outros, alem da adesão a práticas rígidas religiosas e seus dogmas de ortodoxia que sufocavam o propósito original de desenvolver uma relação de amor com os outros. Por isso Jesus sempre foi contra o Sistema Religioso. 

Uma instituição religiosa faz parte de um sistema, num sistema as regras passam a ser mais importantes do que os indivíduos que as seguem, por isso a religião pode se tornar nociva.  Assim sendo, Jesus estava afastado do Sistema, Ele considerava ofensivo as pessoas pegarem as Escrituras, que têm o potencial de uni-las a Deus e aos outros, e as usarem para exercer poder. Para Jesus, o uso das escrituras deveria produzir compaixão e conexão e não arrogância e autoritarismo.

1 comentários:

Postar um comentário