Esclarecendo de vez o Velho Testamento...

VAMOS ACABAR DE VEZ COM O MISTÉRIO DO VELHO TESTAMENTO.
A Lei de Moisés nunca foi para nós, mas sim exclusivamente a Israel e peregrinos, agora, os textos que afirmam que os cristãos não vivem debaixo da lei dizem o seguinte: Só existe quebra de lei onde há lei, não estamos sob a Lei, mas sob a Graça. A Lei ainda serve o propósito que Paulo menciona em (Rm 3:19-20).

A Lei, como todo documento legal, era inflexível assim como qualquer documento legal que façamos seja para compra ou venda de um imóvel ou para pagar ou cobrar uma dívida. A Lei dos (Dez Mandamentos) gravada em tábuas de pedra é chamada ministério da morte. (2 Co 3.7) porque condenava aqueles que deixaram de cumprir suas exigências através do sacerdócio Levitico de Moisés. Qual, pois, a razão de ser da lei?


Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, que é Cristo (Gl 3:19) Se a lei foi acrescentada até que Cristo veio, então o domínio da lei parou quando Cristo veio e se fez cumprir a promessa nele mesmo “está consumado” Nesse momento, adentra-se a Nova Aliança.

Por isso, Jesus deixou bem claro, seu propósito não era contra a lei, pois ele não veio para destruir a lei mas sim para cumprir. (Mt 5:17-18).

De fato, Ele era o cumprimento da lei e dos profetas, (Lc 16:16). e ainda acrescentou dizendo, que até o céu e a terra passrem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra! (Lc 16:16), portanto toda a lei e os profetas haveriam de desempenhar suas funções propostas, até o seu cumprimento. Porque o fim da Lei é cristo. (Rm 10:4). Após a consumação do sacrifício de Jesus, este passou a ser mediador de um Novo Testamento, (Hb 9:15 ) Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador (Hb 9:16 -17), passou também a ser o novo Sumo Sacerdote da Nova Aliança, que faz também mudança de lei (Hb 7:12), se revoga a anterior ordenança (Hb 7:18-19) abolindo conceitos primitivos e arcaicos como sacerdotes tomado dentre os homens (Hb 5:1), Cultos em Santuários Terrestres feito por mãos de homens (Hb 8:13; Hb 9:1) dízimos (Hb 7:5), estatutos e preceitos da Velha Aliança, porque a segunda aliança torna antiquada a primeira, (Hb 7:18) ou seja, o velho Concerto foi abolido - (II Cor 3:14).

De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico pois sob este o povo recebeu a Lei que necessidade havia ainda de que outro sacerdote se levantasse?

Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. (Hb 7:11-12). Portanto, os Cristãos estão sob a Lei da fé (Rm 3.27), Lei de Cristo (Gl 6:2), escrita, não em tábuas de pedra, mas em nossos corações (2 Co 3.3). A Nova Aliança providencia o remédio para os pecados dos homens.

A velha aliança era um ministério de condenação porque condenava aqueles que deixaram de cumprir suas exigências, mas a nova aliança justifica, através do sangue de Cristo, aqueles que pecaram. É certamente uma coisa maior justificar o pecador do que condená-lo. A nova aliança é superior também porque ela ainda permanece, enquanto a glória da antiga aliança desvaneceu. Os adventistas e outros tentam escapar do significado destes textos, “inventando” a diferença entre a lei moral, que eles chamam a lei de Deus, e a lei cerimonial, que eles chamam a lei de Moisés.

Normalmente, eles ensinam que a lei cerimonial foi abolida por Cristo (assim não guardamos a Páscoa nem oferecemos sacrifícios de animais) mas a lei moral (10 mandamentos) ainda está vigente. Esta distinção não está na Bíblia EM LUGAR ALGUM. Quando se fala em Lei, em todos os textos, claramente se referem a Lei de Moisés do Sacerdócio Levítico e isso inclue os dez mandamentos. Então surge a pergunta, se eu não preciso seguir os (10 mandamentos) porque tudo faz parte da Lei, então posso matar e roubar?

Paulo Responde: Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. (Rm13:9). Os dez mandamentos devem estar nos nossos corações, não como Lei, não naquele formato dado a Israel, não como doutrina, mas como amor. Amar ao próximo como a ti mesmo, quem não ama o próximo, não ama a Deus, e não conhece a Deus pois Deus é amor, nisso se resume a Lei de Cristo na Nova Aliaça. (1 Jo 2:29);(1 Jo 3:17);(1 Jo 4:7-8);(1 Jo 4:12);(1 Jo 4:20);(Jo 13:35)

6 comentários:

Postar um comentário